Projetos 

O desafio das mudanças ambientais globais no Antropoceno: ênfase nas questões das dimensões humanas das mudanças climáticas (Brasil, China e Moçambique)

Agência financiadora: FAPESP (Processo 2016/17025-4)

Vigência: outubro/2017 à outubro/2019

Resumo

As atividades humanas estão no centro do debate sobre as mudanças ambientais globais, configurando-se como desafios sem precedentes às sociedades contemporâneas, na transição para o Antropoceno. Esse projeto se insere no debate das dimensões sociais e políticas das mudanças climáticas, concentrando-se na questão de como a sociedade

responde aos riscos decorrentes dessas mudanças. No âmbito da compreensão das dimensões sociais e políticas das mudanças ambientais globais sob a ótica da sociedade de risco, esse projeto tem como objetivo investigar a trajetória pela qual o Brasil, a China e Moçambique têm internalizado a problemática ambiental, especialmente no que diz respeito às mudanças climáticas, analisando três esferas sociais fundamentalmente presentes e relevantes neste processo: a esfera governamental, da comunidade científica e da sociedade civil organizada. Do ponto de vista teórico, propõe-se uma análise

intercruzada capaz de fomentar o diálogo entre e sociologia ambiental, a teoria social e sustentabilidade, com uma passagem pelas relações internacionais e a noção de governança. A fim de cumprir os objetivos apresentados neste projeto de pesquisa, serão adotados diferentes métodos de investigação, incluindo a análise de fontes e dados

primários e secundários, pesquisa bibliográfica e pesquisa documental, e a realização de entrevistas semiestruturadas com agentes governamentais, agentes científicos e representantes da sociedade civil organizada relevantes para as questões abordadas no projeto.

Palavras-chave: risco; mudanças ambientais globais; Antropoceno; Brasil; China; Moçambique.

Pesquisadores

Leila da Costa Ferreira

 

Ana Paula Soares

Edson Pereira de Souza Leão Neto

Fabiana Barbi

Felipe Barbosa Bertolucci

Izidro Justino Muhale

Giverage Alves do Amaral

Liu Si

Mariana Delgado Barbieri

Jefferson dos Santos Estevo

Mudanças Ambientais Globais: As Políticas Ambientais na China com referência ao Brasil

Agência financiadora: FAPESP (Processo 2013/19771-7)

Vigência: janeiro/2014 à abril/2016

Resumo

A questão ambiental assumiu a condição de problema mundial, mobilizando organizações da sociedade civil, setores da mídia e governos de todo o mundo a partir das duas últimas décadas do século XX. Dentre as mudanças ambientais globais, a mudança climática tem se revelado estruturante para o debate nos últimos anos, caracterizando-se como um dos principais desafios da sociedade global na entrada do século XXI. Tanto o Brasil quanto a China ainda possuem vários desafios a serem enfrentados com relação ao conjunto de problemas que compõe a questão ambiental, em um mundo caracterizado pela alta modernidade, pela sociedade do risco e pelo quadro de mudanças ambientais globais. Esses dois países têm se destacado por sua importância internacional e, sobretudo, pela relevância da questão ambiental no cerne de seus processos políticos. Nesse contexto, esse relatório tem como objetivo apresentar os resultados finais da investigação da trajetória pela qual o eixo Brasil-China tem internalizado a problemática ambiental, especialmente no que diz respeito às questões climáticas, analisando prioritariamente duas esferas sociais fundamentalmente presentes neste processo: a esfera governamental e a comunidade científica. O estudo do pilar Ciência-Política no eixo Brasil-China é de fundamental importância, sendo, consequentemente, uma das inovações propostas nesta pesquisa. Em relação aos aspectos metodológicos, foram adotados diferentes métodos de investigação, incluindo, especialmente, a análise sistemática de fontes primárias e secundárias, a exemplo da pesquisa bibliográfica e da pesquisa documental, e a realização de visitas à China pelos diferentes membros da equipe. Contamos com uma equipe formada por Doutores e por estudantes de Pós-graduação e graduação que participaram das atividades descritas neste projeto de pesquisa, contribuindo para a realização da proposta de estudo. O principal resultado da pesquisa foi a publicação do livro O desafio das mudanças climáticas: Os casos Brasil e China. Financiado pela FAPESP e Paco Editorial.

 

Palavras-chave: mudanças ambientais globais; mudanças climáticas; políticas ambientais; Brasil; China.

Pesquisadores

Leila da Costa Ferreira

Alberto Matenhauer Urbinatti

Emerson Palmieri

Estêvão Bosco

Fabiana Barbi

Lisandra Zago

Luiz Enrique Vieira de Souza

Marcelo Fetz

Mariana Delgado Barbieri

 

 

A questão ambiental, interdisciplinaridade, teoria social e produção intelectual na América Latina

Agência financiadora: FAPESP (Processo 2005/52317-1)

Vigência: 2003-2009

Resumo

Pesquisadores

Leila da Costa Ferreira

Angela Mazzariol Santiciolli

Antonio Carlos Carneiro de Albuquerque

Áurea Ianni

Camila Midori

Carlos Potiara

Dimas Floriani

Fernando Queiroz

Gabor Bach

Joana Bezerra

João Luiz de Moraes Hoeffel

Jussara Christina Reis

Marília Otavianno Giesbrecht

Rafael D'Almeida Martins

Roberto Guimarães

Rodrigo Caravita

Sérgio Barreira de Faria Tavolaro

Sônia Regina da Cal Seixas

Vinicius Moreno de Sousa Correa


 

A questão ambiental na América Latina, é abordada a partir da dimensão simbólica e política nessa pesquisa. Para dar conta dos desafios ambientais, a América Latina tem produzido conhecimento e investigações com originalidade e abordagens multifacetadas da relação ambiente-sociedade. A pesquisa estudou sete países - Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México e Uruguai -, buscando identificar as principais linhas de pesquisa no conjunto da produção científica. A metodologia envolveu visitas aos centros estudados e a criação de um banco de dados capaz de abrigar o conhecimento produzido na área socioambiental pelos sete países. O principal fruto da pesquisa foi a publicação do livro A Questão Ambiental na América Latina, que contempla discussões teóricas na área de ambiente e socidade, mas também outros temas, como a visão internacional da produção intelectual latino-americana, a questão política, a posição do Brasil na agenda internacional ambiental e a interdisciplinaridade.