Dissertações e Teses em Andamento

Ana Paula Soares

Segurança Socioambiental no Brasil: governança e iniciativas de coprodução na construção do Plano Nacional de Adaptação à Mudança do Clima

 

Resumo

 

Esta pesquisa tem como objetivo contribuir para o melhor entendimento da governança da Segurança Socioambiental no Brasil, por meio da análise da construção do Plano Nacional de Adaptação à Mudança do Clima (PNA), com foco nas iniciativas de coprodução desenvolvidas pelos atores envolvidos. Pretende-se assim subsidiar a estruturação de arranjos institucionais que possibilitem uma efetiva participação e envolvimento da sociedade nas respostas de adaptação às mudanças climáticas. Tendo como objeto o processo que resultou no PNA, o presente estudo de caso utiliza métodos quantitativos e qualitativos para identificar iniciativas de coprodução nas diversas etapas da elaboração do Plano. Após a análise documental e histórica de documentos públicos sobre políticas que se relacionam com a adaptação às mudanças climáticas, serão realizadas entrevistas com informantes-chaves ligados ao PNA para o levantamento de informações detalhadas sobre as atividades e a participação dos atores. Com a conclusão do trabalho, espera-se: i) contribuir para o aprimoramento da interface da comunidade científica com os tomadores de decisão e os formuladores de políticas de adaptação; ii) contribuir para aprofundar o entendimento do processo de elaboração de estratégias e políticas de gestão e redução da vulnerabilidade e do risco climático no Brasil; e iii) contribuir para diminuir as barreiras que dificultam o exercício da transdisciplinaridade e da construção coletiva do conhecimento, no amplo e complexo contexto da transição para a sustentabilidade.

Edson Pereira de Souza Leão Neto - Doutorado em Ambiente e Sociedade

Ivan Illich e Elionor Ostrom, uma análise comparada: o conceito vernáculo e a abordagem dos commons

 

Resumo

 

​O termo commons alcançou notoriedade na cultura científica após o artigo de Garrett Hardin The Tragedy of the commons (1968). Grosso modo, o ecologista estadunidense apresentou uma tese baseada na ideia de que o livre acesso aos recursos tidos como commons levaria a um colapso ambiental. Passados vinte e dois anos, Elionor Ostrom publicou um trabalho que desafiou a tese de Hardin e delimitou uma direção diferente sobre essa questão: Governing theCommons: The Evolution of Institutions for Collective Action(1990). O polímata Ivan Illich foi contemporâneo dos fenômenos supracitados. Desenvolveu trabalhos importantes em torno da crítica profunda e radical das instituições modernas – Tools for Conviviality (1973) e Medical Nemesis(1976), por exemplo — onde formulou interessantes ideias, que posteriormente apoiaram os chamados ecologistas políticos franceses. Responsável pela reanimação do termo vernáculo, o autor produziu, à sua maneira, um pensamento original sobre os commons. Pretende-se com este trabalho trazer a lume a evolução do conceito vernáculo na obra de Ivan Illich e sua relação com o termo commons. Para tanto, propõe-se uma leitura comparada das obras de Ivan Illich e Elionor Ostrom marcadas pela análise dos commons. Espera-se que a partir das correspondências e diferenças, que emergirão do processo comparativo, seja possível constituir uma ferramenta analítica capaz de auxiliar os trabalhos interdisciplinares com temáticas ambientais.

Felipe Bertoluci - Mestrado em Sociologia

O consumo sustentável como alternativa(s) de enfrentamento à crise ambiental- proposta de um estudo exploratório

 

Resumo

 

A questão ambiental, definida em termos das mudanças climáticas e ambientais globais, constitui um dos grandes temas de debate e reflexão de nossa contemporaneidade. Desde meados da década de 1960, ela se consolidou como um campo de embates em torno de posições e atores sociais bastante heterogêneos e cada vez mais numerosos, para enfim abarcar virtualmente a “humanidade como um todo”. Nesse contexto, a noção de desenvolvimento sustentável, com destaque para sua definição hegemônica no âmbito do relatório Brundtland (1987), emerge como uma das ideias-chave presentes no esforço de compreensão e enfrentamento do problema. O presente projeto de pesquisa insere-se neste campo de reflexão e debate, tendo como foco a análise das práticas de consumo ambientalmente orientadas, que aqui são mobilizadas a partir do termo consumo sustentável. Com o processo de alargamento e consolidação da problemática climática e ambiental, o consumidor passa a ser considerado peça fundamental para a concretização de mudanças em direção à sustentabilidade. Nosso estudo propõe, então, abordar a maneira como são construídos socialmente e integrados projetos reflexivos, estilos de vida (lifestyles) (Giddens, 1991a, 1991b) e práticas sociais (Cf. Reckwitz, 2002) de consumo cuja preocupação ambiental apareça como elemento de primeira grandeza. Serão realizados questionários semi-estruturados e grupos focais dentre a comunidade universitária discente da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) como forma de aproximação metodológica ao problema de pesquisa assim colocado. Desta forma, pretendemos aprofundar a compreensão acerca das propostas de sustentabilidade em disputa, em suas articulações com o âmbito do consumo.

Jaqueline Nicchi- Doutorado em Ambiente e Sociedade

Mobilidade urbana sustentável em cidades inteligentes: um desafio na era do Antropoceno

Resumo

 

A pesquisa avalia a institucionalização da mobilidade urbana e das tecnologias de informação e comunicação (TICs) como processo de adaptação às mudanças climáticas a partir do desenho institucional e de governança. Como variáveis, serão testadas três teses de Beck (2011): a) se há uma elitização do discurso pelos peritos, que deixa fora outras vozes relevantes b) apontar transformações institucionais necessárias e c) sugerir mudanças na política ambiental em âmbito local, tentando equilibrar a ambivalência (hierárquica e democrática) da mudança climática. A hipótese é que o uso de tecnologias de mobilidade sustentável só é efetiva se as condições socioinstitucionais estiverem integradas a uma governança participativa. Uma segunda hipótese é de que são os pequenos grupos, e menos os tomadores de decisão governamentais, que influenciam políticas públicas de transporte sustentável. O estudo de caso se concentrará no município de São Paulo. As hipóteses serão testadas a partir de entrevistas com representantes de instituições públicas e privadas deste tipo de iniciativa e examinadas pela Análise de Discurso (AD) e pelo software Nvivo9 para triangulação. Como resultado, pretende-se identificar novas forças sociais que influenciam a gestão ambiental e se o uso das TICs pode ser uma alternativa à demanda social por um transporte sustentável.

Jefferson dos Santos Estevo - Doutorado em Ciências Sociais

A Política externa chinesa e brasileira nas negociações climáticas

 

Resumo

 

A tese analisa as políticas externas de Brasil e China no âmbito das negociações internacionais sobre mudanças climáticas. O recorte histórico é no período entre 2009 (COP-15) e 2017 (COP-21), após os acordos de Copenhague e Paris. O estudo visa o entendimento da formulação das políticas exteriores de ambos os países, indicando os fatores domésticos e internacionais. Os fatores domésticos influenciam na tomada de decisão dos países nas negociações internacionais. A política externa é uma política pública, com participação de diversos setores nacionais em sua formulação. No que tange política externa climática, Brasil e China reavaliaram seus posicionamentos defensivos após 2009, a participação de diferentes atores na formulação, antes centralizada, indica a mudança de política exterior. A busca por maior participação no Sistema Internacional, influi no posicionamento e participação em diferentes organizações e negociações internacionais. Os riscos advindos das mudanças climáticas já estão em curso no Brasil e na China, com agravamento no futuro próximo. Os dois países são protagonistas nas negociações internacionais, a análise de ambas as políticas exteriores, apontando os fatores domésticos e internacionais, é o centro da nossa tese.

Liu Si - Doutorado em Ciências Sociais

Análise do comportamento pró ambiental no nível local (as políticas ambientais sobre a poluição atmosférica em Pequim/China: 2007-2018)

Resumo

 

Nas duas últimas décadas do século XX, a questão ambiental assumiu o status de um problema global. Os efeitos colaterais da produção industrial são caracterizados como resultado de uma profunda crise institucional da sociedade industrial como um todo. Por outro lado, a capacidade de um país para resistir a impactos relacionados às mudanças climáticas é sistematicamente dependente do nível de renda do mesmo país. Nesse cenário, o dilema de priorizar preocupações ambientais ou desenvolvimento econômico é o maior desafio dos países emergentes. Com a urbanização, o governo local desempenha um papel maior na resposta aos riscos das mudanças climáticas. Um dos riscos que mais afetam as megaciudades como Pequim é a poluição do ar. Tomando como exemplo a metrópole de Pequim, analisarei os problemas de poluição do ar e as políticas adotadas. Inspirado na pesquisa conduzida na Grã-Bretanha pelo Ministério do Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais (Defra) em 2008, que dividiu o público em sete grupos em termos de reconhecimento da ameaça das mudanças climáticas e de sua vontade de reagir a ela na vida diária, vou fazer uma pesquisa semelhante para as pessoas locais dessas duas metrópoles. Esta pesquisa tem 4 partes principais: 1. Poluição do ar e suas causas em Pequim; 2. Políticas ambientais sobre a governança da poluição do ar em Pequim; 3. Comportamentos pró-ambientais em relação às políticas ambientais locais, incluindo 1) Percepção do risco de poluição do ar das pessoas locais, 2) Atitude e comportamento sob políticas ambientais; 3. Análise do resultado, incluindo: 1) A eficácia das políticas ambientais locais, 2) A divisão das pessoas locais em relação aos comportamentos ambientais, 3) As origens dos comportamentos ambientais.

Mariana Delgado Barbieri - Doutorado em Ciências Sociais

Estado, sociedade civil e questão ambiental na China contemporânea

 

Resumo

 

A presente pesquisa busca contextualizar a problemática ambiental chinesa e a atuação da sociedade civil nessa temática. O Estado, precursor na política ambiental, incapaz de atuar isoladamente perante as mudanças climáticas, recebe auxílio de outras esferas sociais, como a Sociedade Civil, que passa a se organizar em ONGs a partir da década de 1990. Propomos a compreensão de que a China vivencia um ambientalismo autoritário ao longo dos anos 90, mas começa a efetivar uma transição rumo ao ambientalismo democrático nos anos 2000. Em virtude da complexidade das mudanças climáticas e da questão ambiental, propomos a necessidade de uma governança multiatores, na qual haja a atuação de diversas esferas sociais frente à criação de políticas públicas, de mitigação, adaptação e redução dos impactos e vulnerabilidades, possível a partir da possibilidade de participação pública das ONGs e cidadãos.

Vagner Charles - Doutorado em Ciências Sociais

Percepções locais das mudanças climáticas e suas consequências socioambientais no Haiti

Resumo

 

   A existência da mudança climática faz consenso na comunidade científica.  Apesar da importância da temática, o nível de conhecimento e compreensão do fenômeno permanece parcial e muito desigual de acordo com os contextos geoclimáticos e socioculturais. Este trabalho estabelece um diagnóstico da percepção das mudanças climáticas e suas consequências no Haiti. É o país mais vulnerável às alterações climáticas, menos desenvolvido na América Latina e região do Caribe e, com maior número de mortes por catástrofes naturais. Enquanto para alguns a questão ambiental é prioridade, para outros é apenas um problema como outro. Outros ainda creiam num « Deus Bom »que os protegem dos desastres naturais. Assim, Haiti corresponde aos critérios desejados. Este estudo tem como objetivo compreender os fatores explicativos para o fato de que a questão ambiental não seja percebida como uma prioridade, apesar do histórico dos impactos ambientais no Haiti. Será também analisado às consequências das mudanças climáticas « problema clima » sobre as condições de vida no Haiti. A fim de recolher os dados, será utilizado um método misto (Mixed Methods). Os principais resultados contribuirão para o debate sobre as mudanças climáticas.

Dissertações e Teses defendidas